O novo caminho para o sucesso.

Retomada da economia na capital só será permitida após a assinatura de protocolos com associações

A Prefeitura de São Paulo só irá permitir a reabertura segura e gradual de estabelecimentos comerciais dos setores de imobiliárias, concessionárias, escritórios, comércio e shoppings centers da capital após a validação e assinatura dos protocolos enviados pelas associações.

“A preocupação da Prefeitura agora é fazer reabertura com os protocolos assinados. Sem isso a gente não consegue avançar para fase 3, a gente retrocede para fase 1. Se a gente não fizer com toda cautela necessária nós vamos ver os índices de disseminação da doença e de ocupação de leitos de UTI voltarem a crescer”, explicou o prefeito Bruno Covas durante agenda na manhã desta quarta-feira (03/06).

Veja todas as etapas do Plano São Paulo, do governo do estado, para abertura dos setores da economia clicando aqui

Apenas entidades setoriais, que serão responsáveis pelo envio à Prefeitura de São Paulo. Os cidadãos que quiserem contribuir deverão enviar suas sugestões para as empresas onde trabalham ou entidades de classe. As empresas, por sua vez, deverão enviar suas propostas para as entidades setoriais, que serão responsáveis pelo envio à Prefeitura de São Paulo.

Para enviar sua proposta a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET), clique aqui, preencha o formulário e anexe o arquivo com a sugestão. As propostas devem seguir os seguintes itens:

a) protocolos de distanciamento, higiene e sanitização de ambientes;
b) protocolos de orientação de clientes e colaboradores;
c) compromisso para testagem de colaboradores e/ou clientes;
d) horários alternativos de funcionamento (escalas diferenciadas de trabalho) com redução de expediente.
e) sistema de agendamento para atendimento;
f) protocolo de fiscalização e monitoramento pelo próprio setor (autotutela);
g) esquema de apoio para colaboradores que não tenham quem cuide de seus dependentes incapazes no período em que estiverem fechadas as creches, escolas e abrigos (especialmente as mães trabalhadoras).

“Estamos trabalhando em cima dos índices que o estado apontou para que a cidade possa ir avançando. A expectativa da Prefeitura é que em breve a gente possa ir para fase 3, mas também vai depender do comportamento da população que deve continuar usando máscara, evitando aglomerações e sair de casa. São variáveis que não dependem apenas do poder público”, afirmou o prefeito Bruno Covas.

Caso as propostas estejam de acordo, a Secretaria apresentará sua manifestação e a encaminhará para análise da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (COVISA), que analisará o protocolo sanitário, nos seus aspectos técnicos, e apresentará sua manifestação favorável, favorável com alterações ou desfavorável e encaminhará o processo para a Casa Civil do gabinete do prefeito.

Após a aprovação haverá a celebração de um termo de compromisso com as entidades do setor analisado e os estabelecimentos relativos ao respectivo setor poderão retomar o atendimento presencial ao público, devendo cumprir com todas as exigências nele fixadas.

 

Fonte: Prefeitura de São Paulo
Publicado em 04/06/2020