O novo caminho para o sucesso.

Higienizar o celular é importante para se proteger contra o coronavírus

A recomendação para reduzir a transmissão do coronavírus envolve medidas como lavar bem as mãos, usar máscaras sempre que for sair de casa e limpar objetos usados com frequência. A higienização do seu aparelho celular também é muito importante para evitar a proliferação do coronavírus. Para isso, é essencial que alguns cuidados sejam tomados para não correr o risco de danificar o aparelho.

Segundo  Paula Bisordi, coordenadora do Núcleo de Doenças Transmissíveis Agudas da Divisão de Vigilância Epidemiológica da Coordenadoria de Vigilância em Saúde da Prefeitura (Covisa), objetos e algumas superfícies podem ser responsáveis pela transmissão do vírus. “A Agência Nacional de Vigilância Sanitária recomenda a limpeza e desinfecção frequente de objetos e superfícies que são tocadas diariamente, como mesas, maçanetas, interruptores, bancadas, torneiras, instalações sanitárias, telefones celulares e chaves”, explica Paula Bisordi.

Para que a higienização seja feita da maneira correta, é preciso utilizar álcool em gel 70%, pois esse é o produto recomendado que tem eficácia contra o coronavírus. Além disso, se utilizado da maneira correta, esse tipo de álcool não danifica o celular e vai trazer a proteção necessária.

A higienização deve ser feita com um pano limpo, que precisa ser levemente molhado com o álcool 70%. É muito importante não exagerar na quantidade de produto, pois isso pode comprometer o funcionamento do celular. O pano deve ser passado por toda a superfície do celular, inclusive na película e capinha protetora. Isso vai garantir a limpeza completa do aparelho. Em seguida, é indicado utilizar um pano seco para completar o processo de higienização.

Alguns outros tipos de álcool podem trazer riscos ao funcionamento do celular, como o isopropílico. Mesmo tendo menos água em sua composição e parecendo mais indicado, o álcool isopropílico não deve ser usado para esse tipo de limpeza, já que tende a esbranquiçar o plástico e isso pode causar manchas na carcaça do aparelho.

Para a especialista da Prefeitura de São Paulo, também é indicado ter outras ações que, quando combinadas, diminuem as chances de contágio. “É necessário lavar as mãos ou passar álcool em gel antes e depois de utilizar o celular, não compartilhá-lo com outras pessoas e manter uma rotina de higienização do seu aparelho”, conclui Paula Bisordi, da Covisa.

 

Fonte: Governo de São Paulo
Publicado em 26/05/2020