O novo caminho para o sucesso.

Empresas que prezam pelo bom ambiente de trabalho se destacam entre os clientes

O sucesso dos clientes e consequentemente das empresas depende essencialmente das pessoas. Todos estes resultados positivos resultam da performance das equipes que trabalham diretamente com os clientes. Essa proximidade e atendimento personalizado ajudam a construir a reputação e a carteira de clientes das empresas.

Muito mais perigoso do que o mau resultado que, apesar de ser muito desagradável, servem-nos para melhorar, corrigir situações e para aprender. É o resultado ‘mais ou menos’. Este não nos traz nada de bom a não ser a fuga de um cliente a curto ou médio prazo.

Segundo Maria Domingas Carvalhosa, CEO da Wisdom Consulting é através deste tipo de resultado que encontramos, invariavelmente, uma equipe descontente ou mal paga ou mal orientada ou a viver e conviver num mau ambiente de trabalho. “Uma equipe infeliz, como sabemos, não brilha e sem brilho não há grande potencial de sucesso”.

Seja lá qual for o seu estilo de liderança positiva – afetiva, modeladora, democrática ou formadora – os recursos humanos são uma peça chave no sector terciário e têm de ser valorizados.

“A maioria das vezes a desculpa dos empresários são as crises financeiras, no entanto isso não deve ser colocado em questão para a desvalorização das pessoas, até porque a motivação e a realização nem sempre encontram a sua causa na remuneração”, afirma Carvalhosa.

Os líderes precisam desenvolver uma consciência social, a capacidade de sentir as emoções dos outros, de compreender a sua perspectiva e de mostrar interesse nas suas preocupações dos colaboradores. Ainda de acordo com Maria, pequenas ações podem ser realizadas no dia a dia empresarial como: inspirar, ouvir, elogiar, passar mensagens claras, implementar novas ideias, responsabilizar, estabelecer padrões de alto desempenho e promover a cooperação entre os funcionários.

Há que reconhecer as competências dos outros e celebrar os sucessos conjuntamente. “O tempo do ‘emprego para a vida’ já foi. Se quisermos profissionais talentosos, teremos que segurá-los. E os clientes agradecem. Sem colaboradores felizes não existem clientes felizes e sem clientes felizes não existem acionistas felizes”, garante Maria Domingas Carvalhosa.

 

Fonte: Meios e Publicidade
Publicado em 28/08/2019