O novo caminho para o sucesso.

Assistência Social distribui 80 mil máscaras de proteção

A Prefeitura de São Paulo, por meio das secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET), recebeu 80 mil máscaras de proteção facial para distribuir na rede socioassistencial da cidade. Nesta sexta-feira (15), 4,5 mil foram entregues nos cinco equipamentos no Complexo Prates, localizado no bairro do Bom Retiro, na região central. 

As máscaras foram produzidas pelo programa Costurando pela Vida, iniciativa da SMDET. O projeto compreende a seleção e contratação de microempresas, empresas de pequeno porte, microempreendedor individual e cooperativas para a produção de um milhão de máscaras de algodão, seguindo o padrão adotado pela Anvisa. 

No Complexo Prates, que atende diariamente 1.096 pessoas em situação de rua e extrema vulnerabilidade social, foram distribuídas quatro unidades por usuário. De acordo com a secretária da Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Giannella, "a iniciativa é uma forma de garantir a proteção das pessoas para que elas possam conviver respeitando o distanciamento social e interagindo sem risco" 

No Centro de Acolhida Prates I, Vanderlino Batista dos Santos estava numa mesa dedicando seu tempo aos estudos e avaliou como a doação das máscaras pode contribuir para a proteção coletiva no equipamento: "se todo mundo usar aqui dentro, ficam todos protegidos. Saiu, voltou e toma as devidas providências conforme orientado pelo pessoal da Saúde, evita a contaminação no local", contribuiu. 

No Centro de Acolhida Especial para Mulheres Transexuais, Casa Florescer I, a convivente Sasha, mora há três meses no local e agradeceu as contribuições. "Com as doações de hoje, fico com 11 máscaras e componho looks diferentes", diz. "A colaboração mútua entre as conviventes ajuda a combater a pandemia, num momento tão difícil", concluiu.

Complexo Prates 

O Complexo Prates conta com cinco equipamentos socioassistenciais com amplas instalações que comportam desde dormitórios, banheiros, sala de TV, lavanderia, biblioteca, horta comunitária, salão de atividades, espaço de convívio, cozinhas e atendimento social. 

No local estão instalados dois Centros de Acolhida para adultos, Prates I (206 vagas) e Prates II (220 vagas), o Núcleo de Convivência Prates, para pessoas em situação de rua (300 vagas), o Centro de Acolhida Especial para Mulheres Transexuais Casa Florescer (30 vagas) e o Centro Temporário e Acolhimento Prates III (340 vagas), com o total de 1.096 vagas, além de um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) e uma Assistência Médica Ambulatorial (AMA).

 

Fonte: Prefeitura SP
Publicado em 18/05/2020