O novo caminho para o sucesso.

A importância do descarte correto das lâmpadas fluorescentes - Entrevista com Willian Gutierrez, Gestor de Operações da Reciclus

Para diminuir os impactos que o excesso de lixo descartado no meio ambiente causa em todo o planeta, a principal solução é a reciclagem. Na realidade, reciclar o lixo traz benefícios para as pessoas e empresas, que conseguem economizar com matérias primas e ainda lucrar com a prática. E as vantagens se estendem também à natureza, já que, ao reciclar, estamos poupando recursos naturais e ainda colocando em circulação coisas que, literalmente, estariam na "lata do lixo". 

Além disso, a reciclagem é importante quando o assunto é racionamento de energia. Sem contabilizar a eliminação de poluentes e resíduos que poderiam ficar no ecossistema por séculos. Neste sentido, merece destaque o descarte no lixo comum de lâmpadas fluorescentes, as quais são bem econômicas, mas são compostas por vidro, metais e diversas substâncias tóxicas, como o mercúrio, por exemplo, que age de forma cumulativa e se posterga a todos os agentes da cadeia alimentar. 

Por exemplo: se um animal se alimenta de um vegetal contaminado, automaticamente ele contrai, para si, a carga do mercúrio. Logo, se uma pessoa se alimenta deste animal, ela estará ingerindo a substância. Os efeitos em longo prazo dessa exposição são catastróficos para a saúde humana, e podem desencadear doenças como paralisias cerebrais, câncer e demência. 

Por isso, em entrevista à JGA Assessoria Contábil, Willian Vagner Gutierrez, gerente de operações da Reciclus há três anos, empresa cliente da JGA, destaca a responsabilidade de todos nós do descarte desses materiais, a fim de garantir o bem-estar da sociedade e da natureza. 

A Reciclus é uma associação sem fins lucrativos, criada a partir da assinatura da Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos - PNRS (Lei nº 12.305/2010) e de um acordo setorial, que prevê a redução na geração de resíduos, tendo como proposta melhorar a prática de hábitos de consumo sustentável e propiciar o aumento da destinação ambientalmente correta de lâmpadas fluorescentes pós-uso no Brasil. 

Acompanhe: 

Onde e como as lâmpadas fluorescentes devem ser descartadas? 

O ideal é que a pessoa leve a lâmpada fluorescente queimada, intacta, até um ponto de descarte. Hoje, a Reciclus conta com 1.500 pontos de coleta espalhados em 230 municípios brasileiros, que já coletaram 3,1 milhões de lâmpadas. 

Como é o trabalho da Reciclus? 

Na prática, a Reciclus organiza e desenvolve a coleta e o encaminhamento correto de lâmpadas fluorescentes, por meio de pontos de coleta (lojas e redes de supermercados que comercializam lâmpadas). A partir da coleta, a Reciclus é responsável pelo encaminhamento de cada um dos elementos das lâmpadas para o armazenamento correto de componentes nocivos e reciclagem das outras partes, como o vidro, por exemplo, o que é chamado de "logística reversa". 

Por que, em sua opinião, muitas pessoas descartam as lâmpadas fluorescentes junto com o lixo? 

Apesar de haver pontos para entrega e descarte das lâmpadas fluorescentes, falta conhecimento das pessoas sobre a reciclagem. Há pouco tempo, no Brasil, vem crescendo o hábito de separar as latinhas de alumínio, porém ainda nos deparamos com descarte irregular deste produto. Estamos com sérios problemas por causa das embalagens "pets". Isso sem falar que, no caso das lâmpadas, o perigo ainda é mais iminente, uma vez que o consumidor descarta incorretamente e nem sabe o que tem dentro delas. E, para piorar, as pessoas não têm consciência da importância do descarte certo. Infelizmente, a legislação prevê a obrigatoriedade dos fabricantes em fazer a reciclagem de forma correta destes produtos, mas a falta de conhecimento dos usuários faz com que as lâmpadas acabem em aterros sanitários ou em recicladores não especializados. 

Quais os prejuízos que o descarte irregular das lâmpadas fluorescentes pode causar à sociedade? 

Dentre os descartes de lixo mais incorretos, estão as lâmpadas fluorescentes, que possuem, em sua composição, materiais extremamente perigosos para o contato humano. É importante salientar que essas lâmpadas possuem resíduos sólidos com altas concentrações de mercúrio, um metal altamente nocivo, cujo fim deve ser acompanhado posteriormente, especialmente depois de as lâmpadas já estarem inutilizáveis. 

Quais danos o mercúrio pode causar à saúde das pessoas? 

São várias as lesões que o mercúrio pode trazer à saúde das pessoas. Como a substância está presente na condição de gás nas lâmpadas fluorescentes, em caso de quebra do vidro o mercúrio é absorvido pelos pulmões e pode chegar ao sistema nervoso e aos rins. Ademais, a exposição ao componente por longos períodos é superperigosa porque uma vez no organismo, ela permanecerá para sempre. 

O que ocorre quando o cidadão dá destino certo às lâmpadas?

Quando as lâmpadas fluorescentes são descartadas corretamente, elas passam por um processo de descontaminação. Após esse processo, seus componentes podem ser reciclados normalmente. 

Quais são suas dicas para o descarte consciente das lâmpadas para pessoas, empresas e espaços públicos?

Em ambiente residencial, devido às pessoas utilizarem poucas lâmpadas, o mais indicado a se fazer é guardar as queimadas para devolvê-las ao fornecedor. Vários locais, como, por exemplo, hipermercados e lojas de materiais elétricos e de material para construção são obrigados a recolher as lâmpadas fluorescentes para encaminhar até o destino adequado. Os 1.500 pontos da Reciclus podem ser conferidos no site da empresa, e a pessoa consegue visualizar qual está mais próximo do ponto onde ela está. Em condomínios ou prédios para escritórios, recomenda-se o uso de coletores para lâmpadas usadas, por isso, já neste ano, atendendo a uma demanda do mercado, a Reciclus contará com coletores, suprindo as mais diferentes necessidades. Além disso, as empresas, prédios públicos e espaços de grande circulação de pessoas podem auxiliar muito no processo de descarte consciente de lâmpadas fluorescentes entrando em contato com as empresas homologadas pela Reciclus.

Mais informações sobre pontos de coleta e atividade da empresa no site www.reciclus.org.br.

 


Por DeLeón Comunicações
Publicado em 10/04/2019