O novo caminho para o sucesso.

Saiba como remunerar os herdeiros em uma empresa familiar

Apesar de parecer simples, a remuneração dos familiares que trabalham nos negócios de família é um assunto complexo. Muitos pais querem ser justos e dentro do padrão que acham que é o correto e acabam dando o mesmo salário para todos os filhos que trabalham na empresa. Normalmente, os futuros herdeiros exercem funções diferentes não tendo nem o mesmo nível de responsabilidade e nem de autoridade em seus cargos, gerando assim conflitos entre a família.

Outra questão que surge é quanto os filhos devem receber mensalmente. Na teoria, muitos pais concordam que os filhos devem receber aquilo que o mercado remunera. Mas, na realidade, isto acontece muito raramente. Para o consultor de empresas Thomas Lanz, se os filhos receberem muito mais que os demais funcionários que desempenham a mesma função, o empresário estará propiciando um ambiente de trabalho negativo.

“O familiar ganhar um pouco a mais se justifica por alguns fatores que serão aceitos pelos colegas de trabalho, como por exemplo: os familiares são mais comprometidos com os negócios da família; familiares em geral não pensam em mudar de emprego e assim por diante. Mas tudo isto não quer dizer que o familiar deverá ganhar muito mais, portanto as famílias precisam encontrar outros canais de remuneração para seus filhos, como remuneração por participarem no Conselho da Empresa ou mesadas que os pais queiram repassar aos filhos”.

Outra questão a ser levantada se refere a pagamento de prêmios, bônus e outros benefícios. Cada família empresária tem sua maneira de gerenciar este tema. Para algumas famílias, os familiares não têm o direito a receber bônus ou premiações de qualquer espécie, já que são remunerados de outra forma. Para outros, os membros da família devem ter os mesmos direitos que os demais funcionários. O que é o certo ou o errado? O certo sempre é o que a família decide.

A remuneração e os benefícios dentro de uma empresa familiar podem gerar sérios conflitos. Cabe às famílias empresárias aproveitar os momentos de harmonia nos negócios para discutir todos estes pontos e estabelecer as regras de jogo para o momento atual e o futuro. As discussões deveriam seguir protocolos específicos, que são ferramentas simples, mas poderosas dentro do contexto da boa governança corporativa. Bons protocolos mitigam conflitos futuros permitindo que a empresa familiar tenha reais chances de se perpetuar.

 

Fonte: Portal Dedução
Publicada em 24/06/2019