O novo caminho para o sucesso.

Por conta da evolução tecnológica, o perfil dos donos de negócios será alterado

Inovação, criatividade e principalmente a empatia são as principais características que os empreendedores precisarão desenvolver para serem bem-sucedidos nos próximos anos. O perfil foi traçado por pesquisa do Sebrae realizada a partir de entrevistas com especialistas em gestão e empreendedorismo do país. O empresário do amanhã precisará ter forte formação nas chamadas Soft Skills (habilidades comportamentais, que envolvem aptidões mentais, emocionais e sociais); pelo menos o “nível básico” em Hard Skills (habilidades teóricas e profissionais que são quantificáveis, como domínio de tecnologias de informática ou capacidade de utilizar ferramentas de análise de dados de mercado, por exemplo), conhecimentos sólidos sobre técnicas de gestão, além de noções básicas de TI e novas tecnologias de comunicação.

Novos tempos – Os especialistas ouvidos pelo Sebrae entendem que, a cada ano, a evolução tecnológica de equipamentos se mostra agressiva e progressiva. Com isso, é necessário acompanhar o processo evolutivo, fazendo com que os serviços ou produtos ofertados pela empresa não fiquem obsoletos ou tenham rápido desuso. O ciclo de vida do produto, tão estudado nas últimas décadas, não segue mais as tradicionais regras do mercado. A maioria dos entrevistados acredita que o novo empreendedor tem que estar preparado para as mudanças tecnológicas que são impostas. Torna-se necessário, muitas vezes, o investimento em equipamentos e novas formas de produção, sendo que em determinados casos, é preciso repensar todo o modelo de negócio.

Nesse contexto, o empreendedor do amanhã deve ter a capacidade analítica do mercado, compreender de forma criativa as transformações sociais e, consequentemente, desvendar os desafios de marketing que surgem todos os dias. Assim como os respectivos gaps que podem ser atendidos, principalmente com novas soluções tecnológicas. De acordo com os especialistas é necessário criatividade e iniciativa para isso. Porém, o empreendedor, além das boas ideias e das devidas competências técnicas e comportamentais necessárias, precisará desenvolver uma capacidade de relacionamento eficiente e um networking compatível com suas ambições.

Independente dos avanços tecnológicos e dos impactos causados nas relações de trabalho, segundo os especialistas, o relacionamento humano continuará sendo um dos aspectos mais relevantes na gestão dos negócios. A capacidade de gestão de pessoal vai continuar interferindo diretamente na possibilidade de sucesso dos empreendimentos. Um ambiente de trabalho com sinergia entre profissionais de todos os níveis contribui para melhor produção em uma empresa.

A pesquisa mostra que, acima de tudo, será necessário equilíbrio e inteligência emocional por parte do empreendedor do amanhã. Os especialistas destacam também que o domínio de idiomas, embora não sejam imprescindíveis, guardam papel estratégico quando se trata da expansão dos negócios, do acesso a novos conhecimentos e ampliação do networking, sendo mais relevante nos negócios com alto potencial de expansão. Já o conhecimento básico de TI é indispensável para que os empreendedores possam estar sempre antenados com as tendências tecnológicas de seu setor.

Perfil desejado do empreendedor do amanhã

• Possuir forte formação em Soft Skills (habilidades socioemocionais)

• Possuir, pelo menos, nível básico em Hard Skills (habilidades técnicas)

• Ter conhecimentos sólidos sobre técnicas de gestão

• Fluência no idioma inglês (opcional)

• Possuir conhecimentos em linguagem de programação

• Acompanhar a evolução das novas tecnologias/tendências

 

Fonte: Agência Sebrae
Publicado em 06/12/2019