O novo caminho para o sucesso.

Franquias: o que esperar de um investimento neste setor

Para investir em uma franquia, muito se especula sobre o tempo de retorno do investimento e a margem de lucro esperada. Embora os franqueadores ofereçam aos potenciais franqueados uma média de retorno de outros membros da rede ou mesmo das suas lojas próprias, é preciso deixar claro que, quando se investe em qualquer negócio, não existem regras e prazos definidos para se obter retorno.

Em média, as franquias brasileiras oferecem retorno do capital em cerca de 24 meses, e podem oscilar de 12 a 40 meses, dependendo do porte, do segmento de atuação e de outras variáveis de mercado.

Segundo José Carlos Semenzato, holding de franquias setoriais e investidor do Shark Tank Brasil, é recomendável que o investidor leve em conta o capital necessário para montar o negócio – inclusive o capital de giro. “É preciso ter em mente que ele precisará de uma reserva para se manter até que o negócio consiga lhe pagar um pró-labore ou mesmo que a empresa comece a distribuir lucros. Esse período varia de negócio para negócio” afirma.

Portanto, antes de assinar contrato com a franqueadora, o foco total do investidor deve ser no seu plano de negócios e nas visitas a franqueados novos e maduros da rede escolhida. Será nesses contatos que ele irá obter informações relevantes para que se sinta seguro em prosseguir.

Como a maioria das franquias exige dedicação pessoal do franqueado, o investidor precisa criar um pró-labore para se manter, o holding de franquias setoriais dá um exemplo prático. “A equação é simples: digamos que ele invista R$ 300 mil para montar um negócio. No caso hipotético, o faturamento mensal é de R$ 100 mil reais, com 25% de margem. Logo, o franqueado terá lucro de R$ 25 mil por mês, podendo fazer um pró-labore de R$ 10 mil – sobram ainda R$ 15 mil de lucro” analisa Semenzato.

Neste caso, considerando o lucro sem pró-labore, o franqueado teria um retorno do investimento em 12 meses. No entanto, se considerarmos o pró-labore, o tempo de recuperação do capital seria maior, mas, ainda assim, o retorno seria excepcional. 

De acordo com o especialista, para um investidor com pouco capital, considero os números acima excelentes pontos de partida. Mas, tudo dependerá de diversas variáveis – da dedicação e da capacidade de gestão do franqueado ao segmento negócio, passando pela situação geral do mercado.

A franqueadora precisa ter um negócio testado e desejado pelo mercado. “Desta forma, costumo dizer aos investidores que, ao adquirir uma franquia, eles compram 50% do sucesso. Os outros 50% dependerão de sua capacidade e do seu empenho na implantação do negócio” assegura José Carlos.

 

Da Redação com informações de José Carlos especialista em franquias.