O novo caminho para o sucesso.

Empreender exige alguns comportamentos essenciais

Cerca de 52 milhões de brasileiros estão empreendendo no Brasil é o que afirma a pesquisa internacional Global Entrepreneurship Monitor (GEM), aplicada pelo Sebrae. A nova era do trabalho exige competências e desenvolvimento de habilidades, como flexibilidade, criatividade, gestão de tempo, empatia, pensamento crítico e trabalho em equipe, conhecido como soft skills.

Segundo Fernanda Nascimento, planejadora de Marketing, especialista customer centric que estuda e cria estratégias de Marketing Digital para empresas B2B, é possível aprender empreendendo. “No começo é uma atividade difícil e depois se torna um hábito. Não temos na educação comum pessoas habilitadas e pré-dispostas. Não temos nas graduações uma cultura empreendedora. Por isso, precisamos valorizar a postura intraempreendedora”, assegura.

Especialistas apontam que para empreender é necessário uma escuta ativa e gerar valor. Além de estudar tendências e contra tendências. Como é o caso do Ifood, que está ganhando cada vez mais espaços.

“Quando discutimos comportamento digital do empreendedor também falamos do impacto social que este gera. As sociedades mais desenvolvidas estão voltando a fazer trabalho manual. Dentro dos EUA aparece uma sociedade made in e o nome do bairro. Há uma tendência no microssistema e isso tem uma percepção do novo. Ela quer resgatar e saber trabalhar essa percepção”, afirma Anderson Penha, desenvolvedor de empreendimentos experimentais e criativos  na região ABC Paulista.

Empreender pode ser cultural e ou disciplinar. Ambos especialistas asseguraram que é necessário o empreendedor estar sempre disposto a observar, inovar, se arriscar e não ter medo.

No entanto, não é fácil encontrar um caminho promissor. É preciso identificar a demanda e oferta. É essencial trazer oportunidades para áreas de conteúdo e novos tipos de formatos, não exigindo das pessoas a presença, por exemplo, os podcasts.  Outra opção são as escolas de culinária a viajantes para ensinar pessoas que querem aprender a comida do lugar. “Você precisa entender para aonde a sociedade está indo e o que ela vai demandar para conseguir fazer as apostas”, garante Anderson Penha.

De acordo com os especialistas, Fernanda Nascimento e Anderson Penha, o comportamento fundamental para empreender em novos segmentos e criar uma economia criativa, depende de três pilares: disposição ao risco, equilibrar a razão e emoção e estar no campo para falar olho no olho com as pessoas. E claro é fundamental estudar e buscar informações na área.

Fonte: Senac